..

  LUIZ HENRIQUE - NO BALANÇO DO MAR

 

O filme que resgata a memória do músico catarinense foi lançado em Florianópolis no dia 20 de agosto de 2007, e ficou em cartaz no cinema do CIC, de 24 a 28 de novembro.

“Luiz Henrique - no Balanço do Mar”, documentário de Ieda Beck, é o que se pode chamar de uma biografia musical. Mostra a trajetória do violonista, cantor, compositor e arranjador nascido em Santa Catarina e que deixou seu nome marcado na Bossa Nova e, depois, entre os brasileiros que fizeram história nas décadas de 1960 e 1970 nos Estados Unidos.

O filme, de 72 minutos, refaz a trajetória do músico, que nasceu em Tubarão, morou em São José e, depois, em Florianópolis, onde rapidamente se integra ao ambiente musical, tocando em bares e em bailes, tornando-se um dos mais importantes músicos de Santa Catarina. Compondo e desenvolvendo um estilo musical intimista, vai para o Rio de Janeiro no início da década de 1960, na efervescência da Bossa Nova, e, em seguida, a Nova York. Apesar do reconhecimento que obteve tanto no Rio de Janeiro e em Nova York, ele retorna a Florianópolis, onde abre uma gravadora e promove shows, com artistas locais e de fora. Morre em um acidente de carro dois meses antes de completar 47 anos, em 1985.

Para contar essa história, Ieda, em sua primeira incursão na direção de um filme, refaz a trajetória do músico, entrevistando familiares e amigos em Florianópolis, músicos e produtores no Rio e em Nova York - entre eles, Armando Pittigliani, Ricardo Cravo Albin, Roberto Menescal, Ilmar Carvalho, Hermeto Pascoal, Paul Winter, Ron Carter, Liza Minelli, Flora Purim e Airto Moreira.

O documentário resgata imagens, fotos, documentos e sons que estavam dispersos em diversos lugares. Reúne cenas gravadas em Super 8, 16mm, VHS e U-Matic recuperadas de televisões da época , escritos e fotos com imagens produzidas no formato digital. Nestas cenas, o neto Pedro Damiani, o filho Raulino Manga Rosa e o amigo Murilo Pirajá personificam Luiz Henrique Rosa nas diferentes fases de sua vida. As imagens produzidas se misturam com as documentais, intencionalmente, sem uma clara delimitação. Tudo isso, costurado com um texto do próprio Luiz Henrique, na voz do ator Édio Nunes.

Ao resgatar a memória do músico catarinense, o filme traz à tona a importância que ele teve na música, tanto na bossa nova brasileira como no movimento musical norte-americano da época. “Seguindo seu rastro musical, eu me surpreendi com a magnitude do trabalho do meu amigo de infância. Tantos já ouviram falar dele, mas poucos conhecem a real importância e sucesso de seu trabalho”, diz Ieda.

Foram oito anos desde que ela iniciou o projeto, até a sua conclusão. Nele, envolveu nesse tempo todo 27 pessoas na equipe técnica e realizou 60 entrevistas. O projeto foi aprovado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura em 2004 e pela Lei Rouanet em 2005. Tem o patrocínio do Badesc, BRDE, Eletrosul e Tractebel, com apoio de Duas Rodas e Reunidas.

TRAILER